Thursday, September 13, 2007

...


O Sol iluminava agora a outra face da Terra, deixando apenas uma breve réstea de luz rosada pelo céu. Na areia o barco deixara a safra do dia e as gaivotas surgiram não sei de onde. Primeiro aguardaram, pousadas sobre a beira-mar. Depois esvoaçaram em círculos, gritando como loucas naquele lamento alto e sentido que acorda em nós lembranças antigas. Eram centenas e reclamavam o seu quinhão aos Homens do Mar.

5 Comments:

Blogger Jose Gonçalves said...

Olá Dulce. É o ciclo normal da vida. Gaivotas em busca dos restos da faina.
E o pôr do Sol ao entardecer que é a hora do dia que mais aprecio...
Uma boa noite
José Gonçalves

9:21 PM  
Blogger poetaeusou . . . said...

*
Meus amigos …
E aquele Hino á Alegria !
Em bailados esvoaçantes
Emitindo gritos sonantes
As traineiras acompanhando
O tom laranja envolvendo
A toda á Nazaré gritando
Estamos anunciar vida,
Com esta sardinha querida,
Em acrobacias voando.
*
jino
*

9:48 PM  
Blogger Mariamar said...

A minha mãe achava que o entardecer era a parte mais triste do dia. Talvez. Eu acho que é uma passagem um reverso da medalha, a sempre e outra parte como em tudo na vida. mas até agora encontro-me no dilema de... o que gosto mais: do nascer ou do pôr do sol. Como estou acostumada a ver os dois e cada um com seu encanto (e um tanto parecidos, curiosamente, a meu ver) ainda se torna um pouco difícil escolher. Até um dia... muitos bjinhos.

12:05 AM  
Blogger viajante said...

Gaivota linda.

7:32 AM  
Blogger Jose Gonçalves said...

Olá Dulce


Passei por aqui, de manhã bem cedo para te desejar uma boa semana.
Um abraço
José Gonçalves

8:40 AM  

Post a Comment

<< Home

8iy