Saturday, August 25, 2007

...


Escondiam-se os últimos raios de sol. Findava o dia primeiro. O vento cortante arrepiava a pele e fazia desejar o calor da casa. O calor da noite primeira. Na atracagem descobre-se uma aldeia fantasma. Os poucos vultos correm para se dissolver no cimento ou para se embrenharem na noite que se apressa. Para trás ficaram as mãos que capturaram o sol e mo devolveram hoje - colorindo promessas.

2 Comments:

Blogger viajante said...

O calor da foto aliado ao calor do Poema.
Lindo.
Bjs

6:38 AM  
Blogger wind said...

Bonita a condizer com as palavras.
beijos

11:40 PM  

Post a Comment

<< Home

8iy